domingo, 14 de agosto de 2011

Jovens do Alemão mostram vista do teleférico e mudanças nas favelas

Trajeto tem seis estações; passeio será gratuito até o final de agosto, G1 pegou carona no bondinho com músico e estudante.
video


Com máquinas fotográficas em punho, moradores e turistas embarcam em uma viagem de teleférico pelo Conjunto de Favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio. O “sobrevoo” permitiu descobrir uma infinidade de lajes e vielas espalhadas pelos 296 hectares que compõem o espaço dividido por 14 comunidades, segundo dados do Instituto Pereira Passos. O G1 pegou carona no novo transporte com dois jovens nascidos e criados no local – o músico Eddu Grau, 22 anos, e o estudante Rene Silva, 17 anos. Para eles, o “bondinho” do Alemão ampliou o acesso de visitantes às favelas.
O Conjunto de Favelas do Alemão ganhou notoriedade nacional após a ocupação da polícia e do Exército, em novembro de 2010. Além dos constantes tiroteios, as ladeiras e escadarias dificultavam o deslocamento dos moradores pelas comunidades. De acordo com a SuperVia, responsável pela administração do transporte, em apenas 15 dias, o teleférico já tinha transportado mais de 168 mil pessoas. A inauguração foi no dia 7 de julho e contou com a presença da presidente Dilma Rousseff.
Medo e distância

Eddu Grau explica que antes da ocupação policial, as favelas do Alemão eram comandadas por duas facções criminosas rivais. O músico diz que os moradores tinham receio de visitar parentes e amigos que moravam em comunidades diferentes. Com a ocupação e com a construção do bondinho, as distâncias e o medo diminuíram.
Passeio de teleférico possibilita morador e turista conhecerem melhor o Conjunto de Favelas do Alemão (Foto: Tássia Thum/G1)
 
Passeio de teleférico possibilita morador e turista conhecerem melhor o Conjunto de Favelas do Alemão (Foto: Tássia Thum/G1)
A viagem aérea passa por seis estações – Bonsucesso, Adeus, Baiana, Alemão, Itararé (Coqueiro) e Palmeiras (Fazendinha). A estação de Bonsucesso faz transferência com o transporte de trens.
O passeio aéreo pelo Morro do Adeus permite desvendar ainda as dezenas de becos que compõem a favela. O estudante Renê pega o teleférico no Morro do Adeus diariamente.
Para a construção da estação foi necessário fazer desapropriações de residências. Os moradores foram indenizados com casas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), construídas nos arredores do Alemão.
Vista do Engenhão e do Tom Jobim

Do alto do bondinho é possível ver a Igreja da Penha, o Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, e o Estádio Olímpico João Havelange, mais conhecido por Engenhão. Passando pela Grota, Eddu Grau relembra a mudança de nome do local conhecido por Inferno Verde, para Céu Azul. O caminho era conhecido por ser a rota de fuga dos criminosos.
A estação do Alemão foi erguida em um ponto emblemático da comunidade. Renê conta que foi ali que os policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) hastearam a bandeira do Brasil, como uma referência ao ponto mais alto do conjunto de favelas onde a polícia conseguiu chegar.
Passeio de bondinho
O bondinho não despertou a curiosidade apenas dos moradores do Alemão. O comerciante Eloir Júnior levou os três filhos e o pai para um passeio na favela.
O comerciante Eloir mora em Del Castilho e foi ao Alemão para passear de teleférico (Foto: Tássia Thum/G1)
 
O comerciante Eloir mora em Del Castilho e foi
ao Alemão para passear de teleférico
(Foto: Tássia Thum/G1)
Eles moram em Del Castilho, no subúrbio do Rio. Eloir garante que a volta pelo Alemão o impressionou e garantiu a diversão dos meninos.
“Só conhecia pela televisão o Alemão. Como sei que o Exército está aqui, resolvi trazer minha família para conhecer o teleférico e aprovei o passeio. Recomendo a todos os cariocas e turistas. Achei o bondinho tranquilo e seguro”, falou o comerciante.

Força de Pacificação

Desde novembro, a Força de Pacificação reforça a segurança das comunidades. Atualmente há cerca de 1700 homens na equipe, que é formada por militares do Paraná, São Paulo e Santa Catarina. O conjunto de favelas do Alemão ainda não foi beneficiada por uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).
.A SuperVia informou que até o final de agosto, as viagens do teleférico do Alemão acontecem no período de 7h às 12h, de segunda a sexta-feira. Nesse período, as passagens são gratuitas. No entanto, segundo a concessionária, a partir de setembro será cobrado R$ 1 por trajeto. Moradores do Conjunto de Favelas do Alemão terão direito a duas passagens gratuitas por dia.


Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário