quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Vídeo mostra fuga de meninas que fazem arrastões em comércios de SP

Grupo de crianças age na Avenida Domingos de Morais, Comerciantes sofrem com ações constantes na região.

video



Imagens registradas por câmeras que monitoram o lado de fora de lojas da Avenida Domingos de Morais, na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, mostram a fuga de três crianças que haviam acabado de roubar um comércio no local. Grupos de meninas entre 11 e 12 anos têm aterrorizado os comerciantes na região. Por semana, eles contam ser vítimas de 15 a 20 arrastões feitos pelas crianças – o número não é oficial, pois os casos não são registrados.
Ao abrir a loja os comerciantes já ficam vulneráveis. Quem tem comércio na região do Metrô Ana Rosa tem sido alvo dos arrastões. Roupas, bijuterias, frutas, tudo é alvo das meninas, que levam o que conseguem. “Elas pedem e se você não dá elas mordem. Aí já era. Mordeu, levou, não pode vender mais”, afirmou Gil Vicente Ferreira, dono de uma banca de frutas.
As imagens foram feitas pouco antes das 15h do dia 18 de julho. Elas não mostram os menores realizando o assalto, mas a fuga do bando. São três crianças – as imagens mostram quando elas saem correndo de dentro de uma loja. Uma funcionária ainda tentou segui-las, mas não as alcançou.
saiba mais
O grupo é formado por meninas de baixa estatura. O representante do Conselho de Segurança (Conseg) do bairro diz que quando elas são flagradas roubando até são levadas para a delegacia ou entregues ao Conselho Tutelar, mas são protegidas pela lei.
“Elas simplesmente dizem que moram na rua, não tem documento e tem menos de 12 anos de idade”, afirmou Douglas Melhem Júnior, do Conseg. Em uma das lojas, nem os clientes escaparam. As meninas chegaram a roubar bolsas com documentos. Os moradores do bairro também já foram alvo.
O problema já é crônico – funcionários de um hotel contaram que o local já foi invadido oito vezes. As crianças esperam o melhor momento para agir, saem do Metrô, e fogem de transporte público, penduradas nos ônibus.
O Estatuto da Criança e do Adolescente não permite que crianças até 12 anos sejam internadas. Por isso, elas não são punidas.
“A gente faz o policiamento ostensivo, e quando acontece de crianças cometerem alguma infração, nós apreendemos e recolhemos ao Conselho Tutelar. Só no primeiro semestre de 2011 nos já fizemos isso mais de dez vezes”, explicou o capitão Flávio Baptista, da PM da região. “Boa parte delas tem entre 7 e 10 anos. Algumas até pelo porte físico talvez sejam adolescentes. Mas como não possuem documentos, fica difícil identificar.”
Segundo a conselheira tutelar Flávia Almeida, o problema acontece há cerca de três anos. Inicialmente, eram 30 crianças – 15 foram identificadas e seus pais foram contatados. Outras 15 permanecem cometendo os crimes. “Todas as vezes que são elas encaminhadas nós fazemos um acolhimento e informamos a Vara da Infância. É um abandono do estado, dos familiares”, afirmou.



Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário